Quem somos: dr. Antonio Carlos Aguiar Brandão

A vida associativa do dr. Antonio Carlos Aguiar Brandão iniciou em 1990 até o envolvimento de forma ativa nas lideranças do ambiente da anestesiologista.

Desde o ano passado, dr. Brandão vem ocupando cargos na diretoria, onde sua primeira experiência foi como diretor Administrativo (2020), e hoje ocupa o posto de diretor secretário-geral (2021).

E para esse novo ciclo, o objetivo do dr. Brandão para o cenário da SBA é aplicar uma reformulação do Curso SAVA tendo como finalidade a acreditação do curso nos principais hospitais Brasileiro como exigência equiparada ao ACLS para atuação do Anestesiologista na entidade. O diretor secretário-geral também pretende modificar a estrutura do curso com aumento do número de aulas práticas e a possibilidades de algumas aulas on-line. Além de implementar uma plataforma na SBA para agilizar a demandas dos sócios melhorando, acompanhando e facilitando o trâmite nos diversos setores da SBA.

Para 2021, doutor Brandão se mantém esperançoso de ver a SBA mais forte e unificada promovendo uma maior aproximação com o seu associado.


5/5 – Dia Mundial da Higiene das Mãos

A campanha global Salve Vidas: Higienize Suas Mãos, lançada em 2009 e celebrada anualmente em 5 de maio – Dia Mundial da Higiene das Mãos – tem como objetivos conscientizar, promover, dar visibilidade e sustentabilidade a esse tema nos cuidados de saúde, unindo as pessoas em apoio à melhoria da higiene das mãos em todo o mundo.

O tema da campanha é Alcançando a higiene das mãos no local de atendimento e o slogan: ‘segundos salvam vidas – higienize as mãos!’

Para as comemorações de 2021, a OMS convoca os profissionais de saúde para realizar uma ação eficaz de higiene das mãos no local de atendimento. O ponto de cuidado refere-se ao lugar onde três elementos se encontram: o paciente, o profissional de saúde e o cuidado ou tratamento que envolve o contato com o paciente ou seu entorno.

A higiene das mãos (com preparação alcoólica ou com sabonete líquido e água) é uma das ações mais eficazes que se pode executar para reduzir a propagação de patógenos e prevenir infecções, incluindo a Covid-19. Assim, tanto os profissionais de saúde quanto a comunidade podem desempenhar um papel importante na prevenção das infecções, praticando a higiene frequente das mãos e salvando vidas.

Fontes:

Agência Nacional de Vigilância Sanitária: segurança do paciente – higienização das mãos

World Health Organization


Novas orientações sobre rotulagem de medicamentos importados

Na última quinta-feira, dia 29 de abril, foi enviado ao Ministério da Saúde um documento com novas orientações sobre o acesso à informação e rotulagem de medicamentos importados, recebidos por doação, durante a pandemia pela Covid-19.

Nesse novo documento, são apresentadas seis recomendações ao órgão de saúde que visam garantir a Segurança do Paciente, assim como apresenta sugestões de modelo de etiquetas para rotulagem dos medicamentos e de cartaz com informações a serem disponibilizadas para as unidades assistenciais dos estabelecimentos de saúde. A utilização dos padrões internacionais por cores foi destacada.

O documento foi assinado pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), a Associação Brasileira de Medicina de Emergência (Abramede), a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), o Instituto para Práticas Seguras no Uso de Medicamentos (ISMP Brasil, a Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar e Serviços de Saúde (SBRAFH), a Rede Brasileira de Enfermagem e Segurança do Paciente (REBRAENSP) e a Sociedade Brasileira para a Qualidade do Cuidado e Segurança do Paciente (Sobrasp).

1- Que sejam elaboradas e implantadas medidas que priorizem a Segurança do Paciente, especialmente quanto ao acesso às informações e rotulagem das embalagens primária e secundária de medicamentos em português;

2- Que, no caso de não haver possibilidade de tradução da bula do medicamento em sua integralidade, o Ministério da Saúde elabore um informe técnico em português, que deverá acompanhar os medicamentos importados enviados aos estabelecimentos de saúde. Neste informe técnico devem constar os requisitos essenciais para o uso seguro dos medicamentos, contendo no mínimo, as seguintes informações em português: forma farmacêutica e apresentação; indicação; posologia; reconstituição e/ou diluição, incluindo tipo e volume de diluente; compatibilidade; estabilidade após reconstituição e após diluição, quando aplicável; cuidados relacionados à administração e armazenamento;

3- Que o Ministério da Saúde considere a possibilidade de envio dos rótulos em português juntamente com os medicamentos. São informações indispensáveis à rotulagem:

a) Denominação genérica do medicamento;
b) Concentração e via de administração;
c) Utilização da padronização internacional por cores para os medicamentos listados na tabela abaixo;

Orientações para informações e rotulagem de medicamentos importados 29 04 21 versão atualizada 2

d) Informações relativas às condições de armazenamento e conservação (rótulo da embalagem secundária);
e) Em situações em que não haja possibilidade de impressão em cores, recomenda-se utilizar a etiqueta com fundo branco e com letras pretas.
Esta proposta também se aplica aos medicamentos que não fazem parte das classes relacionadas na letra c, e que eventualmente possam ser recebidos;

Importante:
• Etiquetas e rótulos devem ser elaborados utilizando fonte sem serifa (ex.: Arial, Verdana, Tahoma), com letra no tamanho mínimo de 11 ou 12 pontos, com espaçamento adequado entre as letras e palavras, garantindo a legibilidade das informações;

• Caso não seja possível fixar a etiqueta diretamente na ampola, recomenda-se embalar a ampola em saco plástico e fixar a etiqueta na embalagem plástica.

4. Que, havendo apresentações farmacêuticas diferentes daquelas disponíveis no Brasil, essa informação seja destacada utilizando uma etiqueta auxiliar de alerta, que deverá ser fixada juntamente com a etiqueta com as informações indispensáveis à rotulagem. Vide modelos de etiqueta auxiliar e alerta (abaixo);

5. Que oriente os usuários dos referidos produtos sobre a notificação “de quaisquer eventos adversos, incluindo erros e near miss”, no sistema VigiMed da Anvisa;

6. Que o Ministério da Saúde disponibilize um canal de comunicação, amplamente divulgado, para que os estabelecimentos de saúde possam esclarecer dúvidas.


Clique aqui para fazer o download das sugestões de modelo de etiquetas para rotulagem dos medicamentos e de cartaz com informações a serem disponibilizadas para as unidades assistenciais dos estabelecimentos de saúde. 


Acesse abaixo as orientações enviadas pelo Ministério da Saúde sobre os medicamentos doados pelo governo da Espanha

Besilato de Atracúrio
Besilato de Cisatracúrio
Brometo de Rocurônio
Citrato de Fentanila
Midazolam 5mg 3ml
Midazolam 5mg 10ml
Propofol