ANS atualiza o Padrão TISS

Padrão TISS – Identificação da versão vigente

Componente Organizacional – 202108 

Componente de Conteúdo e Estrutura – 202107 

Componente de Representação de Conceitos em Saúde (Terminologia Unificada da Saúde Suplementar) – 202108 

Componente de Segurança e Privacidade – 202107

Componente de Comunicação – 04.00.00 e 01.02.00

O padrão TISS está organizado em cinco componentes:

1) Organizacional

O componente organizacional do Padrão TISS estabelece o conjunto de regras operacionais.

2) Conteúdo e estrutura

O componente de conteúdo e estrutura do Padrão TISS estabelece a arquitetura dos dados utilizados nas mensagens eletrônicas e no plano de contingência, para coleta e disponibilidade dos dados de atenção à saúde.

3) Representação de Conceitos em Saúde

O componente de representação de conceitos em saúde do Padrão TISS estabelece o conjunto de termos para identificar os eventos e itens assistenciais na saúde suplementar, consolidados na Terminologia Unificada da Saúde Suplementar – TUSS.

4) Segurança e Privacidade

O componente de segurança e privacidade do Padrão TISS estabelece os requisitos de proteção para assegurar o direito individual ao sigilo, à privacidade e à confidencialidade dos dados de atenção à saúde. Tem como base o sigilo profissional e segue a legislação.

5) Comunicação

O componente de comunicação do Padrão TISS estabelece os meios e os métodos de comunicação das mensagens eletrônicas definidas no componente de conteúdo e estrutura. Adota a linguagem de marcação de dados XML – Extensible Markup Language.


Arquivos Auxiliares
Acesse aqui os arquivos auxiliares do Padrão TISS (.zip)

Solicitações de Aprimoramento do Padrão

Acesse aqui o arquivo com as solicitações de aprimoramento do Padrão TISS (.zip)

Acesse aqui os documentos para solicitar o aprimoramento do Padrão TISS (.zip)

Fonte: ANS


TSA 2021: segunda prova oral e escrita

Efetue a inscrição para a segunda prova oral e escrita do concurso  TSA 2021. 

*Lembramos que as vagas são limitadas.

*Para se inscrever e acessar o edital, clique no link abaixo.

>Inscreva-se na Prova Escrita e Oral

Importante lembrar que a prova oral só está habilitada para os médicos anestesiologistas que foram aprovados na prova escrita anteriormente.


Calendário de provas

2ª prova escrita
Inscrições:  até 10/8
Data da prova: 10/11, das 13h às 17h
Status: inscrição encerrada

2ª prova oral
Inscrições até: até 19/8
Data da prova: terceira semana de novembro, das 7h às 18h40
Status: inscrição encerrada


Agenda de webinários: de 24 a 26 de agosto

É necessário assistir pelo menos 70% do webinário para fins de pontuação no CEPE-A e emissão do certificado.

Data: 24/8/2021, às 19h
Tema: Farmacologia geral – parte 1
Palestrante: dr. Oscar César Pires (SP)
Apresentadora: dra. Maria Angela Tardelli (SP)
Moderador: dr. Daniel Vieira de Queiroz (RJ)


Data: 24/8/2021, às 20h30
Tema: Doenças neuromusculares: desafios na anestesia
Palestrante: dra. Helga Cristina Almeida Silva
Debatedora: dra. Maria Anita Costa Spíndola
Coordenação: dr. Paulo Adilson Herrera


Data: 25/8/2021, às 19h
Tema: Analgesia para o parto normal – parte 1
Palestrante: dr. Daniel Vieira de Queiroz (RJ)
Apresentador: dr. Jedson dos Santos Nascimento (BA)
Moderador: dr. Carlos Eduardo Lopes Nunes (RJ)


Data: 26/8/2021, às 19h
Tema: Anestesia para cirurgia neonatal e pediátrica – parte 1
Palestrante: dra. Débora de Oliveira Cumino (SP)
Apresentador: dr. Marcos Antonio Costa de Albuquerque (SE)
Moderador: dr. Regis Borges Aquino (RS)


Data: 26/8/2021, às 20h:30
Tema: Módulo VI – A Lei Geral de Proteção de Dados e a Medicina
Organizadores: dr. Luis Antonio dos Santos Diego e dr. Celso Papaleo
Palestrante: dr. Bruno Laurentino de Oliveira
Debatedor: José Bredariol Júnior


Entidades se unem e criam a Aliança Nacional para o Parto Seguro e Respeitoso

No mundo, todos os dias 830 mulheres morrem de causas evitáveis relacionadas à gravidez e ao parto. E, anualmente, 2,5 milhões de bebês morrem logo após nascer. Os dados são da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, essa tragédia foi agravada pela pandemia, com o registro de 38 óbitos maternos por Covid-19 a cada semana em 2021, segundo o Observatório Obstétrico Brasileiro. Esta situação dramática pode e deve ser evitada. A maioria das mortes durante a gravidez decorre de causas que poderiam ser tratadas. Por isso, mais de 30 entidades se uniram e criaram a Aliança Nacional para o Parto Seguro e Respeitoso. O lançamento ocorre nesta terça-feira, 17/08, das 19 h às 20h30, por meio virtual.

A Aliança Nacional foi criada atendendo ao chamado da OMS, que escolheu o “Cuidado materno e neonatal seguro” como tema do Dia Mundial da Segurança do Paciente 2021, comemorado em 17 de setembro. Na solenidade de lançamento, serão apresentados a logomarca e a identidade visual da Aliança Nacional, seu hotsite (aliancapartoseguro.org.br) e o vídeo oficial de sua primeira campanha, intitulada “Aja Agora para um parto seguro e respeitoso”, que continua até setembro.  Também serão anunciados os membros do Conselho Científico desse novo coletivo pelo direito das mulheres e das recém-nascidos ao cuidado seguro e de qualidade durante a gestação, parto e puerpério.

Em sua missão, a Aliança Nacional para o Parto Seguro e Respeitoso seguirá dez 10 diretrizes principais, definidas pelas entidades que a integram: Equidade, Respeito, Redes de Atenção, Parto Adequado, Prevenção à Mortalidade Materna, Prevenção da Prematuridade, Letramento, Empoderamento e Engajamento e Participação da Família.  Não por acaso, a primeira diretriz é a Equidade. Conforme o Ministério da Saúde divulgou em 2020, de todos os óbitos maternos ocorridos em 2018, 65% foram de mulheres com a cor da pele negra/parda.

Conforme a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), as principais complicações, que representam quase 75% de todas as mortes maternas, são a hipertensão (pré-eclâmpsia e eclampsia); as hemorragias graves (principalmente após o parto); as infecções (normalmente depois do parto); as obstruções no parto e os abortos inseguros.

Já a infecção após o parto pode ser eliminada com a prática de uma boa higiene e a detecção e tratamento precoces. Para evitar mortes maternas, também é vital prevenir gestações indesejadas e precoces. Todas as mulheres, incluindo adolescentes, precisam ter acesso a informações, a métodos contraceptivos e aos serviços que realizem abortos seguros, na medida em que a legislação permita, e uma atenção de qualidade após o aborto. 

Outros fatores que impedem as mulheres de receberem ou procurarem cuidados durante a gestação e o parto são a pobreza, a falta de informação e os serviços de saúde inadequados. Para melhorar a saúde materna, as barreiras que limitam o acesso a serviços de qualidade devem ser identificadas e enfrentadas em todos os níveis do sistema de saúde. Trabalhar por essas mudanças é o propósito da Aliança Nacional para o Parto Seguro e Respeitoso.


Remuneração médica é um dos temas discutidos em reunião da FPMed

Na última terça-feira (17), a Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), representada pelo dr. Luis Antonio Diego, diretor do Departamento de Defesa Profissional da SBA, participou de reunião virtual com a Frente Parlamentar Mista da Medicina (FPMed), na qual estavam presentes três diretores da Agência Nacional de Saúde (ANS). Da pauta da reunião, constavam temas de grande importância para o exercício profissional do anestesiologista: remuneração médica e modelo de contratualização.

Durante a reunião foram discutidas vantagens e desvantagens dos diversos modelos de contratualização, tais como o fee-for-service, ainda amplamente utilizado, mas também foram abordados os modelos capitation e pagamento por performance. Entretanto, o dr. César Brenha Rocha Serra, diretor de Desenvolvimento Setorial da ANS, deixou claro que a intenção da Agência não é fazer qualquer recomendação de um ou outro modelo, ressaltando que a livre negociação entre as partes é o caminho natural.

Ele ainda destacou que o capitation tem como vantagem a possibilidade de um fluxo de caixa da operadora mais estável e o prestador também possui maior previsibilidade da remuneração. Contudo, quando ocorre desestabilização dos custos o prestador sofrerá perdas.

“Em procedimentos de menor riscos, o empacotamento é vantajoso tanto para operadora quanto prestador. Os problemas ocorrem quando há desequilíbrio entre as operadoras e os prestadores”, acrescentou. Ele acredita a prévia negociação, com maior transparência e com critérios técnicos bastante explícitos será um modelo provável.

Também presente à reunião, o deputado Luizinho destacou que a falta de um compromisso formal entre as operadoras e os prestadores sobre reajustes dos procedimentos é um problema a ser resolvido e que vem trazendo muitos problemas na prestação de serviços médicos de qualidade, principalmente porque, a cada ano, observa-se a redução de operadoras atuando no mercado, contrastando com o crescente número de prestadores. “Os prestadores não têm poder de barganha na negociação devido a essa concentração. Isso determina uma precarização, com falhas nas coberturas de serviços”, afirmou o deputado.

Outro ponto importante levantado pelos participantes foi a dificuldade na formação do médico que, devido à precarização do sistema, acaba por atuar como plantonista generalista, sem se dedicar a uma especialização e aprimorar sua formação.


SBA e AMB discutem projetos de valorização da especialidade

Com o objetivo de discutir projetos estratégicos de valorização da anestesiologia, a diretoria da Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) se reuniu, nesta quarta-feira (18), com a diretoria da Associação Médica Brasileira (AMB).

Durante o encontro, que reforçou o alinhamento profissional entre a SBA e a AMB, foram abordadas ações voltadas para a certificação e desenvolvimento do anestesiologista, assim como projetos de reforço do ato médico e defesa profissional, bandeiras levantadas pela SBA e de extrema importância para a valorização da especialidade.

Participaram da reunião, da esquerda para a direita:

– Luiz Fernando dos Reis Falcão – diretor de relações internacionais da SBA;
José Eduardo Lutaif Dolci – diretor científico da AMB;
– Maria Angela Tardelli – diretora científica da SBA;
– Augusto Key Karazawa Takaschima – presidente da SBA;
– César Eduardo Fernandes – presidente da AMB;
– Jurandir Marcondes Ribas Filho – 2º vice-presidente da AMB;
– José Fernando Macedo – diretor de defesa profissional da AMB;
– Fernando Sabia Tallo – 2º tesoureiro da AMB;
– Maria Rita De Souza Mesquita – 1ª secretária da AMB;
– Akira Ishida – 1º tesoureiro da AMB;
– Luis Antonio dos Santos Diego – Diretor do Departamento de Defesa Profissional da SBA.


Inscrições abertas para a Assembleia da AMB

Estão abertas as inscrições para a Assembléia Geral Extraordinária da Associação Médica Brasileira (AMB), que acontecerá no dia 19 de agosto de 2021, às 19h.

ATENÇÃO: As inscrições poderão ser feitas somente até quinta-feira, 19 de agosto, às 12h.

Após a inscrição, o médico associado – e que estiver adimplente com a AMB – receberá um e-mail de confirmação contendo todas as orientações para o ingresso na reunião e para a votação durante a Assembleia.


Gabarito concurso TEA 2021

Atualização do Gabarito TEA:
Após avaliar as análises dos recursos impetrados, a Comissão CEP decidiu anular algumas questões da prova TEA, realizada no dia 30/7/21.  A pontuação das questões anuladas, foram distribuídas nas outras questões ativas. Confira o gabarito atualizado.

Questões anuladas da prova TEA:  Nº3 / Nº28 / Nº32 / Nº54 / Nº72 / Nº75 / Nº78 

Lista dos Aprovados TEA:
Confira abaixo a lista dos aprovados da prova TEA, realizada no dia 30/7/21.  Os candidatos aprovados já estão automaticamente inscritos para a segunda etapa da prova TEA, que será realizada no dia 17/9/21 na mesma cidade e horário que o candidato fez a primeira prova.

A não participação do candidato nesta segunda etapa, resultará na desclassificação automática do TEA.

Alan Diego de Mendonça
Alan Fernandes Rodrigues
Aline Santana Pinto
Ana Clara Monteiro Laranjeira
Ana Paula Bandeira Pedreira
Ana Raquel Araruna Soares
Arquimedes Vilchez Caceda
Artur Barbin Batalhão
Bárbara Caroline Santos Gontijo
Bárbara Nogueira Borges
Bruna Carolline Pessoa Oliveira
Bruno de Castro Dias
Bruno Ribeiro Leite
Cairo José Alves Vieira
Camila Cristina da Silva 
Camila Magalhães de Souza
Camila Resende de Paula 
Carolina Nascimento Manrique
Cintia Lacava Bailone
Cleomara de Souza Machado
Cristiane de Pauli Bernardin
Danielly Maria Martins Alves
Diogo Rodrigues da Silva Cunha
Diôvani Soltau Gomes
Eivyd Chester Alvarenga
Elisangela F. F. Sivieiro
Emanuele Melânia Stedille Bringhentti
Érika Carvalho e Silva
Everton Oliveiros Souza 
Fabiano Cressoni
Felipe Augusto Oliveira de Morais
Felipe Elder Dantas da Silva
Fernanda Rodrigues Alves
Flávio Campos Magalhães
Francisco Pereira Baia 
Guilherme Rezende Baade
Gustavo Lima Imbiriba
Gustavo Swarowsky
Halan Richardson Soares de Souza
Hérick Pereira Dias 
Janinne Nazário
Joao Antonio Gomes de Barros Murgolo
João Batista Vieira Sarmento 
João Werbert Lucena Landim
Jonh Deyvid Alves Oliveira
Jordana Ferraro de Souza Pinto 
José Henrique de Castro Antunes
José Lucas Farias Wanderley
Josiane Rosa de Jesus Abreu 
Juliana Martins de Oliveira
Juliano Rodrigues da Silva
Lailson Lima costa
Laís de Souza Meireles Arimatéa
Laura Cerqueira de Moraes
Laura Danira Galan Rincon
Leonardo Martins Vilela da Fonseca
Leopoldo Nobre de Albuquerque Paiva
Letícia Peroto Siqueira
Livia Silveira Saragiotto 
Luan Kleber Pereira Viana
Luana Ágathe Dacroce Pretto
Lucas Costa Assunção Buzo
Lucas de Freitas Santos 
Luisa Normandia Baeta Melo
Magno Lage Pereira de Aguiar
Maicon Everaldo da Silveira
Marcelo de Pinho Viana
Marco Túlio Martins Malheiros
Maria Augusta Lima Pereira
Maria Fernanda Gasparoto Tonin
Mariana Fukui Frechette
Marina Corrêa Daher
Matheus Henrique Lopes Dos Santos
Matheus machado Lannes
Michaella Fernandes Alencar 
Monique Schneider Cunha da Silva
Murilo Carlos da Silva Santana
Pablo Brandão Fernandes
Pedro da Rocha Jorge Moraes
Pedro Gianello Labatut
Pedro Leite Capeto
Priscila Bozgazi Amaral
Radmilla Pereira da Silva
Rafael Prado Telles Medeiros
Ralph Augusto Rodrigues Melo
Ricardo Mendes
Rodrigo Domingues Motta
Rogério Magno do Nascimento Filho
Rogério Nei de Brito Costa
Roseanne Castro Nascimento
Sônia Araújo Rogério Nunes
Stephan Sbizera Saab
Tatiane Caroline de Souza Abra 
Thais Kneipp Rodrigues Rompinelli
Thiago Caceres Ferreira de Carvalho
Tiago Iop Viana
Vanessa de Paula Silva
Victor Gama Mascarenhas
Walter Carvalho Benício Júnior
Warley Rocha Barros
Washington Passos Marinielo 

Algumas reflexões sobre a saúde mental

Por Cristina Consalter- psicóloga organizacional, mentora de carreira e de líderes


Estamos atravessando um momento de transição em nossas vidas que oportunizam muito aprendizado em meio ao caos. Nunca se falou tanto em saúde mental como agora! Lidamos frequentemente com a insensatez das próprias escolhas, assim como as consequências da falta de clareza alheia. Nesses momentos, parece que estamos em um barco à deriva, precisando de um leme firme e seguro.

A tristeza, a fadiga, a insegurança e a ansiedade desmedida fazem coro à falta de perspectivas positivas, afetando drasticamente a saúde mental. Quando a autoestima, autoconfiança e a confiança em terceiros encontram-se abaladas, falta-nos os recursos da fé, da alegria e da energia vital. Bem, isso nos leva a fazer as mesmas coisas de sempre, desejando melhores resultados. A frustração é iminente e não há como ser diferente…

Então, comecemos pelos cuidados com alguns pilares da saúde mental: amor-próprio, autoconfiança e vida afetiva.  Para atingirmos um estado de maior consciência sobre a vida, é necessário sonhar e descobrir nossas verdadeiras motivações, assim como as nossas limitações e possibilidades de criar experiências mais intensas e saudáveis.

Quando o amor-próprio e a autoconfiança se encontram mais robustos, não caímos facilmente nas armadilhas da autossabotagem. Ao contrário disso, nosso olhar mais aguçado sobre realidade, nos oferece pista de trajetos mais seguros diante das situações de riscos.

Quando atingimos um elevado nível de autoconsciência, experimentamos clareza e paz interior em meio as dificuldades naturais da vida.  Somos capazes de fazer boas escolhas, quando compreendemos que é necessário aguardar o tempo de maturação de certas decisões e ações. Cada coisa no seu tempo.

Quando não nos permitimos ser atropelados facilmente pelos outros, respeitando o nosso “timing”, é sinal que aprendemos a viver e conviver com os outros com mais autonomia e autenticidade, conscientes de que quando criamos condições mais confortáveis na vida, somos mais eficazes, confiáveis e saudáveis!


Saúde pede movimento: Como deixar de ser sedentário e ter uma vida mais saudável

Por dra. Ana Paula Simões, ortopedista e médica do esporte, presidente da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva (SPAMDE) e médica assistente do Grupo de Traumatologia do Esporte pela Santa Casa de São Paulo


A modernidade, a tecnologia e as inovações trazem muitos benefícios para nosso dia a dia, como o controle remoto, o vidro elétrico e poder pedir comida com poucos toques no celular, mas e a anestesiologia? As muitas horas sentados durante um procedimento aliadas ao estresse colaboram para a redução na atividade corporal. É preciso estar atento para não se deixar dominar pelo sedentarismo.

Embora a maioria associe o termo com a falta de atividades físicas, podemos definir como sedentária a pessoa que gasta poucas calorias por semana com atividades físicas e/ ou ocupacionais, como a faxina da casa e a ida a pé à padaria. Uma pessoa sedentária não consegue gastar o mínimo de 2.200 calorias por semana com atividades físicas.

Confident male jogger walking after running on beach. Pensive young man in earphones listening to music while walking alone on shore. Recreation concept

É preciso estar atento a esse quadro e, literalmente, se mexer! Há fortes evidências científicas de que pessoas ativas têm menor risco de doença cardíaca, acidente vascular cerebral, diabetes tipo 2, alguns tipos de câncer, depressão e demência. Do ponto de vista ortopédico, melhora a mobilidade articular, alongamento e flexibilidade, isso sem falar na resistência física e muscular que ficam afloradas com a prática esportiva. Praticar exercícios é bom para o corpo e ainda traz benefícios para a mente, destacando a melhora do humor, o aumento da concentração, a redução do estresse e sono reparador.

Sempre é tempo de começar. Não use como desculpa que o médico não tem tempo! Você pode começar com uma simples caminhada de 30 minutos diariamente e vá subindo progressivamente. Durante a pandemia, a OMS ajustou de 150 a 300 minutos por semana  de atividade física moderada. O tempo e a intensidade do exercício devem ser adequados a cada perfil e de preferência prescritos e acompanhados por profissionais da educação física e da saúde.

Atividade física nos ajuda a permanecer saudável, com energia e independente a vida toda! E o horário? Quando você puder, coloque seu tênis e liga no piloto automático: só vai! Para se tornar um hábito tente não quebrar a rotina.